C. Jap. Augusto Leal Gouveia Pinto
C. Jap. Augusto Leal Gouveia Pinto

press to zoom
C. Jap. Dona Herzília F. Magalhães
C. Jap. Dona Herzília F. Magalhães

press to zoom
C. Jap. Dr. Baltazar de Mello
C. Jap. Dr. Baltazar de Mello

press to zoom
C. Jap. Augusto Leal Gouveia Pinto
C. Jap. Augusto Leal Gouveia Pinto

press to zoom
1/5

Camélia Portuguesa

Flores de Inverno

Outono.  Ao longo desta estção do ano, surgem as primeiras Camélias Sasanquas a anunciarem um Inverno cheio de belas flores.

Durante os meses de Janeiro, Fevereiro e Março é empolgante vermos as Camélias florirem  em grande quantidade nas regiões do Douro Litoral e Minho.

O nosso jardim enche-se de muitas Camélias, com tamanhos,  formas e cores varaiadas.

Ao abrirem as páginas deste "site" esperamos contribuir para que possam apreciar estas magníficas Flores de Inverno.

 

AMicael e MConceição

Espécies de Camélias existentes no jardim Monte de Esqueiros :

Camélias Sasanquas

São sempre as primeiras a florir.

A partir do mês de Setembro e durante Outubro, Novembro e Dezembro surgem as primeiras camélias.

São originárias do Japão.

 

* Nota:  Para ver mais Camélias do jardim Monte de Esqueiros basta um "Clique" nas imagens.

Camélia Sasanqua Kan-Tsubaki

Camélias Japónicas

Com a chegada do Inverno, as Japónicas começam a abrir os seus botões. São as flores originárias da China e introduzidas no Japão a partir do século VI . São apreciadas como plantas ornamentais, não só pelas flores como pela beleza da sua folhagem.

As Camélias foram introduzidas na Europa pelos navegadores portugueses no século XVI.

Actualmente existem mais de 20.000 variedades desta espécie.

Camélia Japónica Dona Herzília de Freitas Magalhães

Camélia Reticulata Harold L. Page

Camélias Reticulatas

São camélias muito apreciadas pela beleza das suas formas, pelo seu tamanho e variedade das suas cores.

Por serem plantas muito sensíveis às variações climáticas e em especial às amplitudes térmicas, não são muito vulgares em Portugal.

Camélia Rusticana Botanyuki

Camélias Rusticanas

São uma subespécie de Camélias Japónicas.

São muito utilizadas para a obtenção de híbridos mais resistentes ao frio.

São originárias do Norte do Japão.

Camélias Híbridas

Em virtude da flor ser bissexual as camélias podem produzir frutos resultantes da sua autopolinização.

Por vezes reparamos, de ano para ano, algumas variações na cor das flores das C. Japónicas e nas C. Reticulatas. Essa situação pode ser resultante de mutações espontâneas ou da intervenção de abelhas.

Em laboratório faz-se a hibridação - introdução numa espécie determinada, alguns atributos de outra espécie - para obtenção de novas plantas (híbridos) mais resistentes, assim como flores com novas cores ou ainda para aumentar o seu perfume.

Camélia Híbrida Galaxie

Camélia Higo Kumagai

Camélias Higo

São originárias da região Higo do Japão onde são muito apreciadas.

Supõe-se que estas camélias são o resultado de um cruzamento natural entre C. Jpónica e a C. Rusticana.

A sua forma é singela mas dotada de uma coroa de estames amarelos bem destacada.

Camélias (outras) Espécies

São Camélias originárias predominantemente do Sul da China, mas também do Japão, Birmânia, Vietname ou de regiões visinhas desses países.

De um modo geral são camélias singelas e de tamanho muito pequeno (miniaturas).

Uma das espécies mais conhecida é a Camélia Sinensis - a planta do Chá.

Camélia de Espécie Chrysantha

Vídeo >  "Camélias - As Flores de Inverno"